APEPREM

Notícia

Garibaldi aceita convite para assumir o Ministério da Previdência

(09/12/2010)



O senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) disse nesta quarta-feira, 8, que aceitou convite da presidente eleita, Dilma Rousseff, para assumir o Ministério da Previdência Social, mas admitiu que não sabe o tamanho do rombo previdenciário que vai encontrar. Os dois se encontraram por uma hora na Granja do Torto na tarde de ontem (08/12). "Ela me disse que esperava que eu continuasse um trabalho que já está sendo realizado na Previdência, com relação à reforma da gestão da Previdência, no que toca ao fim das filas, pagamento dos benefícios de uma forma mais ágil e esperava que não apenas continuasse isso, mas pudesse melhorar", afirmou Garibaldi a jornalistas, após o encontro.

O senador afirmou que Dilma deve colocá-lo em contato com o atual ministro da pasta, Carlos Eduardo Gabas, para que ele possa "conhecer melhor a situação". "Vai ser um desafio, eu acho que estou (preparado). Todos nós temos de um dia responder a um desafio maior, né", afirmou o peemedebista.


Segundo ele, não se conversou sobre outros ministérios do PMDB. Questionado se seria um ministro técnico ou político, respondeu: "Olha, eu não tô aqui dizendo a vocês que o melhor é ter uma conduta política ou técnica, o importante é você saber se conduzir diante daquele desafio". "Mesmo que você não seja técnico, você chama os técnicos, chama uma boa equipe", continuou o senador. "O importante é ter na Previdência uma boa equipe e ela (Dilma) me disse com o conhecimento que tem que a Previdência já tem hoje uma boa equipe que vai me ajudar bastante".

Sobre o futuro ministro:
Garibaldi Alves Filho (Natal, 4 de fevereiro de 1947) é um jornalista, advogado e político brasileiro, formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Casado com Denise Pereira Alves, tem dois filhos: Walter Pereira Alves, que é deputado estadual, e Bruno Alves. É sócio da TV Cabugi afiliada da Rede Globo no estado.

Começou a vida pública em 1966 como Chefe da Casa Civil da prefeitura Natal, na época governada pelo tio, Agnelo Alves. Em 1970 foi eleito deputado estadual, reelegendo-se por três vezes consecutivas, primeiramente pelo MDB e, com o fim do bipartidarismo no país em 1979, pelo PMDB.

Em 1985 elegeu-se prefeito de Natal e em 1990 foi conduzido ao Senado Federal, cumprindo esse mandato até 1994, quando eleito, em primeiro turno, governador do Rio Grande do Norte. Em 1998 foi reeleito Governador do Estado.

Deixou o governo, em abril de 2002, para disputar novamente o cargo de senador - e foi novamente eleito. Nas eleições de 2006 disputa mais uma vez o governo do estado. É derrotado pela primeira vez na carreira, no segundo turno após acirrada disputa para a então governadora Wilma de Faria.

Em 2007, Garibaldi Filho tornou-se o candidato único a assumir presidência do Senado, sendo eleito em 12 de dezembro de 2007, com 68 votos a favor, 8 contra e 2 abstenções. Sua eleição deveu-se ao bom trânsito que tem entre os seus pares, tanto os da situação, quanto os de oposição.

Deixou o cargo em 2 de fevereiro de 2009, sendo substituído pelo senador José Sarney, presidindo a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado no biênio 2009/2010. Ainda em 2010, foi reeleito Senador pelo Rio Grande do Norte, quando obteve 1.042.272 votos, o correspondente a 35,03% dos votos válidos.



Patrocinadores